Sete dicas para fazer jornalismo em podcast

Guia da NPR ajuda principalmente quem está migrando da reportagem em texto para a reportagem em áudio

Sound Reporting é um guia da National Public Radio (NPR), dos Estados Unidos, para repórteres, produtores e editores que estão se aventurando no jornalismo em áudio, seja no rádio ou em podcasts. 

O livro é assinado por Jonathan Kern, mas reúne ensinamentos de mais de cem jornalistas da NPR, passando por todas as etapas da produção de uma reportagem – da ética à publicação. 

Ainda não há versão em português, mas selecionamos algumas dicas que nos ajudaram e podem ajudar quem está migrando do texto para o áudio, ou melhor, da reportagem feita para ser lida para a reportagem feita para ser ouvida. 

1. A introdução é um gancho e uma promessa do que virá

Mais do que um lide com informações básicas, a introdução de uma reportagem em áudio deve ser um gancho para fisgar a atenção do ouvinte.

Os primeiros minutos precisam oferecer algo que o ouvinte não vai querer largar. Precisam dar a ele o motivo e a vontade para continuar escutando.

Isso pode ser alcançado de várias formas, seja com um fato surpreendente, uma cena inusitada ou um diálogo instigante entre o repórter e o entrevistado.

2. Chance única

Diferentemente de uma matéria de jornal, que permite que o leitor volte facilmente para relembrar um dado do parágrafo anterior, no áudio, a chance é única. O ouvinte pode estar dirigindo ou lavando a louça, e talvez não tenha mãos livres para voltar e escutar de novo um determinado trecho.

Por isso, coloque lembretes sobre personagens que apareceram vários minutos atrás e resgate informações que possam facilitar a compreensão da história.

3. Escreva falando em voz alta

Quando estiver escrevendo o roteiro, pergunte a você mesmo “eu diria isso numa conversa?” ou “eu falaria isso desta forma?”.

Se você não costuma dizer palavras como “entretanto” e “contudo” em uma conversa com amigos, melhor substituí-las por outras palavras mais familiares.

Tente ser o mais fiel possível ao jeito que você fala quando não está sendo gravado – claro, de um jeito que ainda seja aceitável em uma reportagem. E tenha em mente que você está contando uma história e conversando com o ouvinte, e não oferecendo uma aula sobre determinado assunto. 

4. Sem perder o ritmo

Uma história contada de forma muito rápida pode atropelar o ouvinte, mas uma narração muito lenta pode se tornar maçante.

Tente encontrar um meio-termo que seja capaz de prender o ouvinte e, ao mesmo tempo, dê a ele a chance de absorver informações e fazer reflexões.

Músicas, paisagens sonoras e silêncios ajudam a dar o balanço. 

5. Grave tudo. Tudo.

Você nunca sabe do que irá precisar na hora de construir a reportagem. Então, na dúvida, esteja sempre gravando.

Grave o antes, o durante e o depois das entrevistas, grave os silêncios, e grave, inclusive, suas conversas com você mesmo. Use o gravador como um bloco de notas para registrar suas percepções sobre cenas, lugares e personagens.

6. O áudio é tudo o que você tem. Cuide dele.

Quanto mais o público se habitua aos podcasts, mais exigente ele fica com a qualidade do som.

A variação de texturas (entrevistas gravadas por telefone, sons da rua, áudios de arquivo) ao longo de uma história é normal e até importante, mas garanta que os ruídos não sejam um empecilho para a compreensão da história e nem um incômodo para os ouvidos. 

Se precisar de dicas sobre equipamentos, temos algumas aqui.

7. Entrevistados bons de escutar

Gaste um tempo procurando entrevistados que falem bem, além de serem relevantes para a matéria. É difícil manter o ouvinte interessado e atento quando o entrevistado fala de maneira apática ou extremamente técnica, por melhores que sejam as informações e análises oferecidas.

Por isso é importante fazer uma pré-entrevista por telefone ou Skype antes de combinar um encontro ao vivo.

O LIVRO
Sound Reporting - The NPR guide to audio journalism and production
De Jonathan Kern
The University of Chicago Press (2008)