Equipamentos

O que usamos para gravar o 37 Graus

Atualizado em 11 de abril de 2019.

Reunimos nesta lista os principais equipamentos utilizados na produção do 37 Graus, seja para ambientações in loco ou entrevistas. Temos ainda uma considerável lista de desejos (alô, microfone shotgun), mas já dá para fazer muita coisa boa com isso aqui.

1. Gravador digital Zoom H5

Esse gravador tem dois microfones com padrão de captação de 90 graus. São essas duas pontas cruzadas que vemos na parte de cima. Os microfones do Zoom H5 são bons para gravar ambientações sonoras, pois captam muito bem a ‘atmosfera’ de um determinado local. Chegamos até a fazer breves entrevistas em campo direto nesse gravador. Como a captação dele é bem sensível a distorções causadas por vento e por sopros de boca, é sempre bom usar algum tipo de corta vento. A espuma que vem com o gravador não é suficiente para evitar as distorções em ambientes externos, por isso usamos um dead cat (ver item 5). Em ambientes internos, por exemplo numa sala, os microfones do Zoom tendem a gravar mais eco e aqueles barulhinhos que queremos evitar. Nesse caso, ele acaba servindo melhor como captador para os microfones focais (item 2 e 3). O Zoom H5 possui entrada para dois cabos de microfone XLR ou P10 e registra as gravações em faixas (tracks) distintas.

2. Microfone Sennheiser ME66/K6

Usamos esse microfone (também chamado de boom ou shotgun) para gravar entrevistas em lugares internos ou externos, sempre acoplado no nosso gravador Zoom H5. A captação dele é bem focal, então é um ótimo equipamento para colocar a voz do entrevistado em evidência. Além disso, ele ajuda a acompanhar o movimento dos entrevistados – tanto os irrequietos que se balançam muito durante a conversa como aqueles que nos levam para andar em florestas e afins. Sempre usamos o Sennheiser acompanhado de um suporte do tipo pistola e uma pelúcia corta-vento (dead cat ou priscila), como mostra a foto. Essa pistola ajuda a reduzir os barulhos de manuseio do equipamento.

3. Microfones Samson Q2U Handheld Dynamic

Usamos dois desses microfones para gravar tanto o roteiro geral dos episódios como as principais entrevistas.

Hoje em dia usamos microfones Samson apenas para dar apoio em entrevistas. Por exemplo, quando queremos deixar um microfone fixo para a entrevistadora enquanto apontamos o Sennheiser para o(s) entrevistado(s).

O Samson também tem uma captação focal, sem muita interferência de barulhos do entorno. Esse produto já vem com pedestal, uma espuma e cabos. São duas opções de conexão para os microfones: podem ser plugados diretamente no computador por cabo USB ou conectados no nosso gravador Zoom H5 por cabo XLR.

4. Gravador digital Zoom H1n

Este é um modelo de gravador da mesma marca do item 1, mas bem mais simples. Ele tem menos funções e não possui entrada para XLR (só possui uma entrada para microfone do tipo lapela), mas acaba sendo uma opção leve, compacta e discreta para gravações in loco. Ele também precisa de um dead cat para evitar distorções de sopro ou vento. Você pode comprar uma pronta ou, se quiser economizar, pode fazer como nós: comprar um tecido de pelúcia de pelo longo e improvisar uma usando cola quente ou linha e agulha. Existem alguns vídeos no YouTube que ensinam a fazer o dead cat DIY.

5. Pop filter para microfone

Zoom H5

Usamos estes filtros para evitar que as gravações tenham muita interferência de sopros, sibilos ou barulhinhos de boca. Eles são bastante práticos pois podem ser presos diretamente na mesa, em frente ao microfone. Nas nossas gravações, percebemos que pop filter funciona melhor do que a espuma que veio com os microfones. E há opções de filtros bem baratos na internet. Dica: já fixamos os pop filters em livros, em casos em que não era possível prender na mesa (por exemplo, quando o tampo da mesa tem espessura muito fina ou muito larga).

Nós usávamos pop filters na época em que nossos roteiros eram gravados de forma mais caseira, numa sala comum. Mas desde o episódio ‘Cupido’, gravamos nossas narrações em um estúdio profissional. 

6. Espuma acústica perfilada

espuma acústica

Nós (ainda) não temos um estúdio. Por isso, quando vamos gravar o roteiro (o corpo do episódio), acabamos fazendo em alguma sala ou quarto. Para evitar uma gravação cheia de eco, tentamos usar ao máximo essas espumas, seja montando uma cabaninha em torno dos microfones ou espalhando algumas unidades pelo cômodo. Compramos um pacote com 10 espumas na internet.

Igual ao item anterior: Nós usávamos espumas na época em que nossos roteiros eram gravados de forma mais caseira, numa sala comum. Mas desde o episódio ‘Cupido’, gravamos nossas narrações em um estúdio profissional.

7. Tripés e monopés

tripé

Os gravadores que usamos são bem sensíveis. Num deslize da mão ou uma pegada de mau jeito, pode ser que você estrague uma boa gravação. Por isso, quando estamos em campo, tentamos usar os gravadores presos a tripés ou monopés. Mesmo aqueles pequenos tripés de selfie (desde que tenham o encaixe certo) já ajudam bastante a evitar barulhos de mãos deslizando sobre o gravador.

8. Fone de ouvido supra-auricular

Fone de ouvido

São os chamados head phones. Geralmente oferecem mais qualidade sonora e mais conforto do que os fones pequenos, os earbuds. Sempre gravamos usando fones conectados aos gravadores para monitorar o que estamos captando e saber se a gravação está saindo com qualidade.