Como contar histórias envolventes

Coisas que aprendemos no livro Out on the wire – the storytelling secrets of the new masters of radio, de Jessica Abel

Nós lemos Out on the wire na época em que estávamos criando o 37 Graus. É um livro em quadrinhos feito por Jessica Abel, uma fã de podcasts que decidiu mergulhar nesse mundo e entrevistar produtores de alguns dos programas mais populares dos Estados Unidos.

Esse livro está sempre na nossa mesa de trabalho. Ele mostra os bastidores de podcasts como This American Life, Radiolab, Planet Money e Snap Judgement, que inclusive são inspirações para o 37 Graus. Com ele, aprendemos técnicas e dicas de produção que sempre tentamos aplicar no nosso programa. Mas são dicas que podem ser usadas para contar boas histórias em qualquer mídia, não só podcasts.

1. Na hora de pensar as pautas, tente buscar histórias específicas, e não apenas temas. Por exemplo, em vez de tratar de um assunto amplo – como conservação da arara-azul -, pode ser mais interessante contar a história de alguém que faz de tudo para salvar uma espécie de pássaros, ou de como uma ave rara tem sido intensamente caçada para fazer iscas de pesca.

2. Crie sequências de ações para prender a atenção do público e criar movimento. Em vez de contar diretamente qual foi o resultado alcançado pelo personagem da história, tente detalhar as ações percorridas por ele. Por exemplo:

“Maria é daquelas pessoas que sempre deixam frutas para as aves no quintal. Mas, naquela quinta-feira, um pássaro diferente apareceu. Maria se espantou quando viu a arara comendo os restos de mamão que estavam na mureta. As penas azuis chamaram sua atenção. Então ela discou o número da central de serviços da prefeitura e contou sobre a visitante inesperada. Foi aí que descobriu que estava olhando para a última arara-azul de toda a região.”

3. Sinalize para o ouvinte os pontos mais importantes da narrativa. Antes ou depois de dar uma informação essencial para a compreensão da história, use indicações como “e foi aí que as coisas começaram a desandar”, ou “para entender X, você precisa saber que…”, ou “e essa é a chave de toda a história”. Isso é importante para que o público não perca o fio da meada durante a narração.

4.  Dê importância à motivação dos personagens. Conte o que levou o personagem a fazer o que fez e o que isso significa na vida dele. Por exemplo:

“Roberto tinha 53 anos quando se divorciou. Depois de passar três anos solteiro, resolveu baixar um aplicativo de paquera no celular.”

Histórias envolvem trajetórias e transformações. No decorrer da narrativa, conte o que mudou na vida do personagem.  

“Roberto nunca imaginou que iria conhecer alguém como Regina. Eles se casaram alguns meses depois do primeiro encontro. E hoje ele ajuda os amigos solteiros – todos na faixa dos 50 anos – a montar um perfil atraente no aplicativo.”

5. Estude a sua mídia e preste atenção no que você gosta e no que você não gosta. Busque referências em trabalhos que você admira e faça uma avaliação crítica da sua própria produção.

Por aqui, nós costumamos ouvir os podcasts de que gostamos analisando e destrinchando cada elemento – estrutura, narração, entrevistas, cenas e trilhas. E tentamos identificar os pontos que podem ser melhorados nos próximos episódios. dicas de como fazer entrevistas e montar um episódio

Se você se interessou pelo tema, já escrevemos sobre como fazer entrevistas e contamos como nasce um episódio do 37 Graus.

O livro

Out on the wire – The storytelling secrets of the new masters of radio.

De Jessica Abel
Broadway Books (2015)